Vale a pena investir em uma plataforma de e-commerce para seu negócio?

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

Vale a pena investir em uma plataforma de e-commerce para seu negócio?

O e-commerce no Brasil registrou um alto crescimento nos últimos anos. De acordo com pesquisas, houve um aumento de 12% em vendas online no primeiro semestre de 2019, com faturamento de R$ 26,4 bilhões. 

 

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), estima-se que o e-commerce possa atingir mais de R$ 79,9 bilhões em vendas.

 

Atualmente, qualquer tipo de empresa pode ter um e-commerce – desde as grandes multinacionais até uma gráfica para impressão de tags. Muito disso, deve-se à facilidade de criação de plataformas online, bem como a expansão da internet.

 

A previsão é que em pouco tempo, mais de 50% das compras serão feitas online, principalmente por meio de smartphones, tablets e outros dispositivos móveis. Desse modo, as lojas físicas não serão a primeira opção de grande parte dos brasileiros.

 

Portanto, o investimento em um e-commerce é extremamente positivo tanto para os novos quanto para os empreendimentos já existentes. 

 

É uma maneira de inovar do mundo dos negócios, adequando-se ao mercado globalizado.

 

Além disso, em um cenário cada vez mais competitivo, ter uma plataforma online representa um diferencial para a empresa, que pode expandir limites de atuação e alcançar cada vez mais clientes em potencial.

E-commerce: saiba o que é o comércio eletrônico

O e-commerce representa uma inovação disruptiva no mercado. Não é à toa que muitas empresas preferem investir somente em negócios online, abandonando as lojas físicas e concentrando esforços somente em vendas online.

 

De modo geral, o e-commerce (eletronic commerce), ou comércio eletrônico, é toda transação de compra e venda realizada por meio eletrônico, mais especificamente a internet. 

Sendo assim, se você decidir abrir um site para oferecer seus serviços de conserto de notebook, já está inserido no mundo virtual do e-commerce.

 

No entanto, é preciso diferenciar um e-commerce de um marketplace. Podemos encarar o comércio eletrônico como todo site próprio da empresa, em uma plataforma online onde é possível fechar pedidos, comprar produtos/serviços diretamente em um site personalizado. 

 

Já os marketplaces são uma espécie de “shopping virtual”, onde várias empresas podem anunciar um produto/serviço, sem ter que construir um website próprio.

 

Por exemplo, é possível encontrar peças para Land Rover em um site especializado de uma empresa filiada. 

 

Ao mesmo tempo, um pequeno comerciante de autopeças pode usar um marketplace para anunciar o mesmo produto, ao lado de outros comércios, empresas e profissionais.

 

Independentemente do modelo de negócio adotado, a expansão das vendas online faz com que muitas empresas e empreendedores procurem firmar presença digital. 

 

Em um relatório publicado, 73% dos participantes do estudo afirmaram procurar por informações na internet antes de realizar uma compra, e 71% disseram que encontraram conteúdos online que não encontrariam em outros lugares.

 

Isso significa que o e-commerce é mais do que uma plataforma para vendas, mas também, uma forma de influenciar a decisão de compra dos consumidores. 

 

Ora, um usuário pode procurar por carpetes para auditório, somente com o intuito de se informar sobre quais os melhores tecidos, média de preço e as vantagens do tapete, mesmo sem fechar negócio.

 

Ou seja, ao buscar por algum conteúdo na internet, o usuário pode ser informado através do seu site ou plataforma e-commerce, o que aumenta a autoridade da empresa e o reconhecimento da marca no mercado virtual. 

 

Como consequência, as chances de venda são maiores, bem como a conversão de leads (quando os usuários transformam-se em potenciais clientes).

As 5 principais vantagens de um e-commerce para o seu negócio

A essa altura, já está claro que o investimento em uma plataforma de e-commerce não somente é positivo, como será necessário para os negócios. 

 

A expansão das vendas online representa o novo comportamento dos consumidores e a modificação nas maneiras de se relacionar com o mercado, com preferência para a aquisição de bens online.

Assim como mencionamos anteriormente, todos os tipos de empresas podem investir em um e-commerce. 

 

Segundo dados, o setor de Perfumaria, Cosméticos e Saúde lidera o ranking no maior número de pedidos pela internet, com 16,4% da participação nos lucros do comércio eletrônico. 

 

Em seguida, Moda e Acessório (13,6%), Casa e Decoração (11,1%), Eletrodomésticos (10,6%) e o segmento de Livros, Assinaturas e Apostilas (7,5%).

 

Porém, a internet oferece infinitas possibilidades, até mesmo para produtos específicos. Por exemplo, é possível comprar alicate de dentista muito mais facilmente, ao pesquisar online, do que em lojas físicas. 

 

Diante disso, confira algumas das principais vantagens de um e-commerce para o seu negócio.

1 – Redução de custos

Ter um e-commerce pode ser uma boa maneira de reduzir custos, especialmente para os novos empreendimentos. 

 

Afinal, ter um site é um investimento muito mais atrativo, financeiramente, do que uma loja física, que possui gastos relacionados com a própria estrutura do local.

 

Por exemplo, um pequeno negócio de piramide pedras decorativas artesanais, não precisa alugar um espaço para expor produtos, ou contratar funcionários para trabalhar em horário comercial. 

 

Quando se tem um e-commerce, é possível começar somente com a loja online, com pouco investimento.

2 – Versatilidade nos horários de atendimento

Um comércio eletrônico pode funcionar 24 horas por dia, mesmo sem a presença de profissionais para monitoramento. 

 

Provavelmente, você já deve ter adquirido um produto fora do horário comercial e conseguiu fechar negócio facilmente, pela internet.

 

Inclusive, é possível automatizar o atendimento por meio de robôs, com respostas programadas para os usuários que entrarem em contato com o seu e-commerce. 

 

Dessa maneira, nenhum cliente se sente ignorado, fora o conforto de poder comprar qualquer produto/serviço em horários alternativos.

3 – Dispensa limites geográficos

Já pensou comprar uma cristaleira pequena em uma empresa de São Paulo capital e receber o móvel em uma cidade do interior? O e-commerce oferece essa possibilidade e muito mais!

 

A internet quebra os limites geográficos e, com isso, as lojas podem vender seus produtos para mais clientes, aumentando o reconhecimento da marca e a presença no mercado. 

 

Para isso, é necessário que a empresa:

 

  • Tenha uma organização logística de envio dos produtos;
  • Estipule quais são as principais regiões de atendimento;
  • Calcule a taxa para o envio de produto para o cliente;
  • Tenha parcerias e contratos com boas empresas de entrega.

 

Claro que tudo irá depender do tipo de negócio e do tamanho da empresa. Por exemplo, lojas menores de roupas podem optar por enviar peças diretamente pelos Correios, ao invés de contratar uma transportadora.

 

Entretanto, uma coisa é certa: ao eliminar as barreiras geográficas, é possível alcançar um número muito maior de clientes, incluindo pessoas que se interessam pelo seu produto, mas não podem comprar em loja física, pela ausência da empresa na cidade.

4 – Facilidade na criação de anúncios

Ao criar uma plataforma e-commerce, a empresa pode investir em estratégias de marketing digital para a divulgação do negócio, incluindo ações em redes sociais, campanhas de divulgação online e produção de conteúdo relevante aos usuários. 

 

A grande vantagem disso está na praticidade dos métodos publicitários da internet, além do preço, já que muitas estratégias de marketing digital costumam ser bem mais baratas do que as propagandas tradicionais.

 

Desse modo, ao divulgar um sousplat em MDF, com aspecto vintage, é possível personalizar um anúncio que corresponda ao produto diretamente em redes sociais, com links de redirecionamento para o seu e-commerce. 

 

Mas, apesar da facilidade, é fundamental acompanhar as tendências e as especificações do marketing digital, para a construção de estratégias assertivas e objetivas.

5 – Monitoramento de resultados e acompanhamento dos clientes

Os comércios eletrônicos, bem como grande parte das plataformas online, contam com um sistema de armazenamento e análise de dados, para acompanhamento de métricas do seu negócio. 

Assim, é possível visualizar se uma estratégia teve um saldo positivo ou negativo para empresa, além de informações sobre lucratividade, rentabilidade, número de visitantes, perfil do público-alvo, etc.

 

Com isso, é muito mais fácil realizar o monitoramento de campanhas, o comportamento dos consumidores e como o seu empreendimento está respondendo ao mercado, facilitando a elaboração de novos planejamentos, quando necessário.

 

Em alguns casos, o e-commerce oferece a possibilidade de análise de categorias específicas, como a verificação de um anúncio de um determinado produto, qual mercadoria recebeu a maior parte dos visitantes online, entre outros dados detalhados. 

 

Dessa maneira, é possível descartar o que não vai bem e até mesmo alterar projetos de negócio, de acordo com as métricas analisadas.

 

Isso não quer dizer que somente o e-commerce disponibiliza recursos para monitoramento. 

 

Quando uma loja física é bem estruturada e organizada, essa análise também é possível, contudo, os comércios eletrônicos contam com sistemas automáticos, para maior facilidade de mensuração e menos erros.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Assine nossa Newsletter

Fique por dentro das novidades do mundo digital.

Compartilhe com seus amigos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email