conservadora

Compartilhe com os amigos

Muitos empreendedores ainda possuem uma postura conservadora dentro do mercado, e por mais que ela seja 100% compreensível, também pode ser um grande empecilho para que a marca cresça e alcance ótimos resultados.  

Infelizmente, não possuímos controle de tudo e nem sempre iremos saber se determinada estratégia irá oferecer os resultados esperados, o que é normal para todo e qualquer tipo de negócio na atualidade. 

A pandemia do novo coronavírus foi um exemplo disso, tanto uma empresa de tratamento térmico em SP quanto os pequenos comércios sentiram as mudanças que essa inesperada doença trouxe para o universo dos negócios. 

Com isso, muitos empresários começaram a ter medo de investir em novidades e mudanças para suas empresas, justamente por pensarem que a qualquer momento pode surgir algo que mude por completo os planos da marca.

Entretanto, o medo pode acabar paralisando todo o seu negócio e trazendo prejuízos imensuráveis para a sua empresa, por maior que ele seja, o medo não pode superar o potencial e grandeza da sua marca. 

O perfil de uma empresa conservadora dentro do mercado traz muitos perigos para ela mesma, pois enquanto fica aprisionada no medo de tentar algo novo, os concorrentes podem estar a sua frente e conquistando muitos resultados. 

Seja uma montadora de carros ou até mesmo uma companhia de prestação de serviços voltados para educação, um perfil conservador não combina com uma marca que deseja crescer e alcançar novos patamares. 

Por isso, hoje você irá conhecer a fundo o perfil de uma empresa conservadora e como arriscar novidades e mudanças dentro do seu negócio com reparação e cuidado, para que você avance de acordo com o seu ritmo e propósito. 

Conheça o perfil de uma empresa conservadora 

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, uma empresa conservadora não é necessariamente uma empresa que possui ideais e conceitos ultrapassados e que não aceitam o diferente. 

Uma empresa com perfil conservador, é aquela que pensa não só duas, mas vinte vezes antes de realizar alguma mudança por medo do que isso pode trazer para a marca, a maioria pensa que as mudanças podem acabar prejudicando o escopo do negócio. 

E por um lado eles não estão errados, afinal de contas, já pensou se uma mudança feita em uma empresa desse errado e levasse a empresa a falência? Isso é a última coisa que um empresário deseja. 

Os donos de empresas com perfil conservador defendem a ideia de que as mudanças precisam ser leves e não recorrentes, isso para evitar que a marca acabe tendo prejuízos com tamanhos riscos na hora de abraçar novidades. 

Entretanto, isso atrapalha e muito a empresa como um todo, pois todo esse receio em apostar no novo acaba impedindo que a marca abrace novas oportunidades de crescimento dentro de seu mercado. 

Como bem sabemos, o meio empresarial passa por mudanças e mais mudanças todos os dias, e as empresas que não as acompanham acabam ficando para trás e perdendo clientes e lucros para os seus concorrentes. 

Sendo assim, tanto uma empresa de instalação de forro acartonado quanto um e-commerce de produtos de beleza, precisam se arriscar um pouco e investir em novidades no mercado para obter melhores resultados. 

E mesmo sabendo que isso pode parecer um desafio e tanto para empresas conservadoras dentro do mercado, é mais do que apostar em novidade, com a quantidade de informações que conseguimos obter, o próximo passo irá ser no escuro. 

Entenda o que é gerenciamento de riscos 

O gerenciamento de riscos é uma das áreas mais importantes em qualquer empresa e, caso a sua esteja começando a pensar em inovar no mercado, contar com esse setor faz toda a diferença para a tomada de decisões. 

Essa área é responsável por analisar, identificar e avaliar quais os riscos a empresa corre ao investir em alguma novidade ou mudança dentro ou fora da marca, tudo isso com o objetivo de evitar ameaças e prejuízos. 

Por exemplo, se uma empresa que presta serviço de levantamento topográfico deseja realizar um evento presencial para divulgar seu novo curso online, é a equipe de gerenciamento de riscos que irá verificar todos os riscos que a marca sofre com isso.

E esses riscos podem ser os mais variados e que qualquer empresa no mercado está a mercê, como: 

  • Perda de receita;
  • Poucos clientes;
  • Alto investimento; 
  • Baixa repercussão;
  • Alta concorrência;
  • Falta de preparo, entre outros. 

A equipe de gerenciamento de riscos realiza todos esses balanços para você e apresenta quais são os riscos que a sua empresa de capachos corre ao investir em alguma novidade ou mudança. 

Um negócio que queira, por exemplo, investir em uma estratégia online ou até mesmo na abertura de um ponto de venda físico sabe muito bem que é preciso um grande preparo e investimento de tempo e dinheiro para que isso aconteça. 

E esses são os pontos que qualquer empreendedor considera inegociável e sabe que não há como recuperar por completo e, se conseguir, demorará bastante, que é o tempo e o dinheiro gasto.

Por isso, contar com uma equipe de gerenciamento de riscos na sua empresa de inspeção de instalação elétrica ou seja qual for o segmento do seu negócio, é indispensável para que você aposte em novidades com a tranquilidade de um bom planejamento e análise.

Dicas para um bom gerenciamento e análise de riscos

Caso você ainda não se sinta pronto para contratar profissionais para compor uma equipe de gerenciamento de riscos, você mesmo pode começar a fazer esse processo e, com o passar do tempo, delegar essa função para outros profissionais. 

Por isso, selecionamos algumas dicas essenciais para que você consiga fazer um bom gerenciamento e análise de riscos na sua empresa para investir em mudanças com tranquilidade e conforto, saindo da postura conservadora. Confira: 

  1. Identifique todos os riscos 

Por mais óbvia que essa dica possa parecer, ela é a primeira justamente para que você não se esqueça desse passo simples mas extremamente importante para a construção de toda a sua análise. 

Se uma empresa de climatizadores de ar para lojas, por exemplo, deseja investir na abertura de um ponto de vendas em um shopping, anote todos os riscos que a marca corre, faça o mesmo passo com qualquer outra novidade que aparecer 

Assim, você terá em mãos todos os riscos que corre ao investir em determinada estratégia, mudança ou novidade, o que consequentemente, te dará uma visão maior sobre as futuras decisões.

  1. Faça uma análise qualitativa e quantitativa 

Aqui, após identificar todos os riscos, é importante analisar a qualidade e a quantidade deles, que é de extrema importância e faz toda a diferença na hora de analisar a tomada de decisão como um todo. 

Quando falamos de quantidade, é o número total de riscos que a marca corre, já sobre a qualidade, refere-se ao efeito de cada risco, que pode variar entre baixo, médio e alto risco. 

Com isso definido, torna-se ainda mais simples saber quais os principais e mais perigosos riscos a sua empresa corre com cada possível mudança, o que te ajudará a optar pela que traz a menor taxa possível.

  1. Planeje possíveis soluções 

Seja dentro de uma empresa ou em uma marca que produz livros para faculdade, pode ser que o plano não saia como o previsto e o prejuízo comece a bater na porta. 

Por isso, durante o gerenciamento de riscos, é importante planejar possíveis soluções para os mais diversos problemas que podem surgir a partir da declinação de uma estratégia, mudança ou investimento. 

Por exemplo, se o seu evento presencial foi um fiasco, já tenha alinhado antes disso, o que será feito para amenizar a situação. Caso ele seja um sucesso, pelo menos você ficou tranquilo sabendo que mesmo se tudo saísse fora do esperado, você estava preparado.

  1. Mensure os riscos 

A mensuração de riscos é um processo realizado para que você alinhe junto ao time da sua empresa de PPP, quais os riscos mais impactam o seu negócio de maneira negativa, pois isso varia muito de empresa para empresa. 

Por exemplo, perder R$10.000 pode não ser um problema para uma marca que fatura milhões todos os meses, entretanto, pode quebrar por completo uma empresa que acabou de começar no mercado. 

Sendo assim, mensure os riscos do que deseja fazer justamente para saber se eles serão graves ou não para o seu negócio, dependendo do resultado, você saberá se vale ou não a pena investir no que deseja. 

Com essas dicas, você já conseguirá começar a fazer uma boa análise e gerenciamento de riscos na sua empresa, seja ela uma fábrica de bancada de inox para laboratório ou uma loja, e até mesmo preparar seus funcionários para, no futuro, passar esse bastão adiante. 

Considerações finais 

Por mais inesperado e amedrontador que seja o mercado empresarial e a ação de empreender, correr alguns riscos e sair da postura conservadora vale a pena quando o seu objetivo é se diferenciar e apostar em algo que pode mudar por completo o seu negócio. 

Sendo assim, conte com o gerenciamento de riscos para inovar com cuidado e tranquilidade, fazendo a sua empresa não ser 100% conservadora, mas sabendo o equilíbrio entre o cuidado e a emoção que abraça algo novo. 

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Postagens que podem ser do seu interesse

Abrir WhatsApp
1
Fale Conosco
Olá;
Podemos ajudar? Clique no BOTÃO ABRIR para falar conosco pelo WhatsApp