e-commerce

Compartilhe com os amigos

O comércio eletrônico, do inglês e-commerce, refere-se à atividade online que envolve a compra e venda de produtos e serviços. Em outras palavras, o comércio eletrônico é uma operação para realizar transações online.

Por exemplo, podemos dizer que quando você vai à loja online do seu fornecedor de papel toalha de preferência para comprar novos produtos, está se envolvendo com o comércio eletrônico. 

Além disso, se você adquiriu ingressos online para assistir a um show de música ou comprou um livro em uma livraria online, isso também é comércio eletrônico.

Apesar da crescente tendência desse tipo de negócio dos últimos anos e, em especial, impulsionado pela pandemia, a maior parte do tráfego de comércio eletrônico é impulsionado pelo comércio físico.

No entanto, há a expectativa que o e-commerce ultrapasse as vendas físicas em algum momento no futuro, principalmente pelos estímulos e influência dos smartphones e pelo conforto das compras online.

Existem diversas categorias do comércio online:

  • B2C – Business to customer;
  • B2B – Business to business;
  • D2C – Direct to customer;
  • C2C – Consumer to Consumer.

As vendas B2C ocorrem, em geral, entre uma empresa e um único cliente. Nesse modelo, por exemplo, um comprador encontra uma empresa on-line de capacete de construção civil e faz um pedido, e a empresa envia o produto ao cliente. 

Já sobre o comércio eletrônico B2B, ele se refere à venda de produtos ou serviços para empresas. Ademais, as empresas B2B normalmente têm um valor de pedido mais alto e compras mais recorrentes.

Os produtos de e-commerce B2B podem incluir equipamentos de fabricação, distribuição, serviços de hospedagem de sites, serviços financeiros ou soluções de software para empresas, apenas para citar alguns. 

Ele ocorre quando um grupo hospitalar, por exemplo, compra em varejo poltrona hospitalar. Essas empresas fornecem a outras empresas os produtos ou serviços de que precisam para crescer.

Já o comércio eletrônico D2C é semelhante ao B2C, pois o cliente final é um consumidor individual, mas difere porque oferece aos fabricantes a oportunidade de vender diretamente aos consumidores, em vez de usar varejistas ou atacadistas de terceiros. 

Por fim, o tipo C2C ocorre quando consumidores comuns, por meio de uma plataforma, vendem seus produtos já utilizados. O primeiro consumidor, nesse caso, passa a ter o papel de vendedor. 

Um engenheiro aposentado, por exemplo, pode aproveitar para vender online sua bolsa para epi a outros consumidores que podem se interessar. Assim, ele pode aproveitar para poder garantir lucros e ajudar a que faria um uso do produto melhor do que ele.

Conheça as principais estratégias para o seu e-commerce

Colocar um e-commerce em funcionamento é apenas o primeiro passo para lançar um negócio online de sucesso. Agora, será necessário estabelecer estratégias sustentáveis ​​para aumentar as vendas.

1 – Criar uma lista de e-mail

O e-mail funciona muito bem porque seus clientes optam por receber mais notícias suas em vez de serem alvo de promoções pagas. Além disso, você tem controle total de sua lista de e-mail, enquanto não possui plataformas de mídia social. 

Segmente seu público de acordo com suas ações. Questione-se que tipo de produtos eles compraram de você e quais são suas preferências quando se trata de receber promoções por e-mail.

Ao segmentar sua lista de assinantes, você pode enviar newsletters e promoções mais relevantes para cada grupo. Com a personalização, é mais provável que seu público se envolva com sua marca e permaneça inscrito.

2 – Adicionar pop-ups

Para garantir que o envio de muitos e-mails não seja invasivo, o uso de pop-ups é uma ótima alternativa complementar para chamar a atenção do consumidor. 

Você pode acioná-los quando um cliente passar um determinado período de tempo em sua página ou quando ele rolar a página para baixo até um determinado ponto.

Por exemplo, uma fábrica de papel higiênico online pode adicionar em seu site cupons de 50% de desconto caso os consumidores deslizem até certo ponto da página. Isso aumenta em até 5% as vendas eletrônicas.

3 – Utilize a tática da escassez

Se o seu produto parece estar disponível em quantidade limitada ou se uma venda estiver disponível apenas por um curto período de tempo, seus visitantes estarão mais propensos a comprar de você agora.

Isso porque eles não podem ter certeza de que seus itens estarão disponíveis a esse preço ou disponíveis mais tarde. 

Uma empresa de desinfetante pode dobrar suas vendas ao adicionar um cronômetro de contagem regressiva para promoções imperdíveis de produtos para limpeza. Junto ao cronômetro, podem ser utilizadas palavras como “imperdível” e “restantes”. 

4 – Otimize o SEO

Os mecanismos de pesquisa aumentarão seu tráfego orgânico, especialmente se você conseguir classificar na primeira página de sites de busca para uma determinada palavra-chave.

SEO para lojas de comércio eletrônico é uma ótima ferramenta e você pode escolher entre vários ótimos plugins para simplificar o processo. 

Alguns são pagos e alguns são gratuitos, mas, em última análise, esses plugins são mais acessíveis e fornecerão um ótimo ROI quando usados ​​em seu potencial máximo.

A ideia é que toda vez que alguém acessa seu site por meio de uma pesquisa orgânica, você economize em promoções pagas.

5 – Otimize sua loja para celular e impulsione redes sociais

Quase metade das vendas online são por meio do celular. Portanto, ter um site bem projetado, otimizado para conversões e otimizado para dispositivos móveis agora é uma prioridade.

Se você deseja mais vendas no seu e-commerce, torne seu site amigável para todas as plataformas. Não se esqueça de otimizar seus pop-ups para dispositivos móveis também. 

Nas redes sociais, você pode usar imagens atraentes de seus produtos para chamar a atenção de seus seguidores e vincular a uma página de produto em sua loja. Adicione seu feed diretamente ao seu site de comércio eletrônico.

Um distribuidor de avental descartável pode se aproveitar do fato de redes sociais serem um lugar familiar para inspiração do cliente e exibir seus produtos de modo que traga segurança e confiança aos clientes. 

Isso incentiva o engajamento social de seus visitantes. E os visitantes engajados são muito mais propensos a comprar novamente no futuro.

6 – Reduza o abandono do carrinho

Carrinhos abandonados são um sério desafio para as empresas de comércio eletrônico. A taxa média de abandono é de pouco menos de 70%, o que significa que apenas três em cada dez compradores realmente comprarão seu produto. 

Pop-ups de intenção de saída podem fazer seu visitante pensar duas vezes antes de clicar no botão ‘x’ na guia da sua loja. 

Esses tipos de pop-ups detectam automaticamente quando o usuário está afastando o mouse da sua loja e dão a ele uma última chance de resgatar uma oferta tentadora se concluir a venda.

Outra alternativa é uma campanha de e-mail de abandono de carrinho. Os e-mails de abandono têm o potencial de ensiná-lo a expandir os negócios de comércio eletrônico da maneira certa. 

Uma fabrica de farinha de trigo envia o primeiro e-mail uma hora após o abandono, a segunda mensagem 12 horas depois e a terceira 24 horas depois. Além disso, utiliza palavras-chave de alta conversão, destacando também uma foto do produto abandonado.

Direcionar nesses e-mails maneiras de entrar em contato com o suporte ao cliente também pode ser útil para os compradores que desejam comprar algo, mas têm dúvidas ou problemas que os impedem de fazer um pedido.

7 – Destaque avaliações dos clientes 

As avaliações funcionam como uma espécie de prova social. A maior parte dos consumidores leem comentários antes de optar por comprar de uma empresa. 

A exibição de avaliações em locais de destaque, como páginas de produtos, menus e áreas de checkout, pode aumentar significativamente a confiança do cliente. Além disso, as páginas de produtos com comentários de clientes têm uma taxa de conversão alta para materializar a compra. 

Os e-mails também são uma ótima maneira de solicitar avaliações, e essas dicas para criar um e-mail de opinião do produto farão com que você as colete regularmente. Depois de ter esses depoimentos, mostre-os em sua página. 

8 – Dê mais recomendações de produtos

A exibição de itens semelhantes na página do seu produto incentivará os visitantes a navegar mais e, com frequência, a colocar itens adicionais no carrinho.

Apresentar esses produtos em e-commerce causam uma ótima impressão, pois não sobrecarrega o consumidor e facilita sua vida ao indicar produtos relacionados e complementares ao que ele deseja comprar. 

Deixe em destaque também os produtos mais vendidos – afinal, eles estão no topo das vendas por um motivo. Disponibilize também as avaliações dos clientes sobre esses produtos para impulsionar ainda mais as vendas.

9 – Facilite a expansão

Um grande benefício do e-commerce é que a loja online nunca fecha. Isso permite que o lucro aumente constantemente. Também oferece a oportunidade de alcançar aqueles que estão ocupados para fazer compras no horário normal de funcionamento das lojas.

Considerações finais

Lembre-se: vender online sem parar é simples. A automação de vendas garante que sua loja funcione 24/7/365 . A qualquer dia e a qualquer hora um cliente pode fazer uma compra.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Postagens que podem ser do seu interesse

Abrir WhatsApp
1
Fale Conosco
Olá;
Podemos ajudar? Clique no BOTÃO ABRIR para falar conosco pelo WhatsApp